quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

O pior do Brasil é o brasileiro

Recentemente, quando da passagem do furação Sandy pelos Estados Unidos, postei aqui no blog um depoimento do Carlinhos Troll mostrando o comportamento dos estadunidenses diante da tragédia e comparando, de forma frustrada, o comportamento dos brasileiros que lá vivem. 

No vídeo, que pode ser conferido novamente abaixo, Carlinhos relata que diante da tragédia, os comerciantes não só mantiveram o preço dos produtos, como em alguns casos até baixaram para que as pessoas pudessem estocar água e alimentos. De acordo com ele, esse senso de solidariedade é geral a todo o povo, não algo pontual. Carlinhos cita ainda outros exemplos, inclusive de pessoas que estavam EMPRESTANDO geradores para pessoas que estavam sem energia. Consternado, ele ainda informou que brasileiros estavam pegando estes equipamentos emprestados para alugá-los se aproveitando da boa fé de quem os estava disponibilizando.

Médico oferece tratamento médico gratuito no período após a passagem do Sandy

"Temos energia. Por favor, sinta-se a vontade para carregar seu telefone!" Morador oferece tomada para pessoas sem energia carregarem seus aparelhos.



Mas o que me motivou a criar esta postagem? Ontem acompanhei boquiaberto uma reportagem onde os moradores do Xerem, Duque de Caxias, que foram acometidos de uma grande enchente dias atrás, estavam denunciando que os comerciantes do local AUMENTARAM os preços.



Qual a justificativa que pode-se dar a atitudes destes brasileiros, no caso citado pelo Carlinhos, bem como no citado por mim?

Claro que há brasileiros com grande senso de solidariedade. Já sei também que terão pessoas que irão comentar dizendo tratar-se de atitudes isoladas e tal, alguns até citarão o exemplo do Zeca Pagodinho. Mas infelizmente não é esta a sensação que se tem.

Até quando o brasileiro vai carregar dentro de si essa ânsia de querer levar vantagem em tudo? De ser mais "exxxxperto". O brasileiro está levando ao pé da letra demais aquele velho ditado que diz que o mundo é dos espertos.

10 comentários:

  1. certíssimo... o povinho "zé povinho"... gostam de contar vantagem e dizer pra todo mundo quando passam a perna em alguem...o herança maldita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ia dizer a mesma coisa.. Maldita lei de Gérson que, vergonhosamente, é parte dos Brasileiros

      Excluir
  2. Basta ver o que os EUA são e o que o Brasil é... isso responde tudo.

    ResponderExcluir
  3. Realmente é verdade. Mais triste ainda, é saber que os homens das cavernas (95% da população brasileira) ainda vão levar muuuuuito tempo para evoluir.

    ResponderExcluir
  4. triste verdade....de um povo que se acha MALANDRO-ESPERTO-BOA VIDA.
    temos praia, temos mulheres com a bunda de fora(mas quem come são os gringos com grana) tinhamos o melhor futebol do mundo, realmente o mal do Brasil são os brasileiros que pensam assim, pois os sérios pagam as contas....

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho nojo de ser brasileiro!
    Esse é o país mais nojento e desonesto do mundo! Brasileiro se acha o malandro, acha que passa perna em todo mundo. Quando no fim, o prejudicado é o próprio brasileiro.

    ResponderExcluir
  6. Brasileiro é uma merda mesmo. Uma amiga minha que mora em Londres faz uma coisa ridícula e sem o menor arrependimento: ela vai a uma loja de roupas e compra uma peça, ela então a usa numa festa, e depois retorna à loja num horário no qual não encontrará o mesmo vendedor, então ela diz que comprou por engano um número muito pequeno ou grande, como lá eles trocam por outra peça no mesmo valor, ela então adquire outra peça para ir em outra festa, e faz isso várias vezes sem o perigo de ser descoberta, pois os ingleses não fazem estas malandragens. Eu tenho vergonha de ser brasileiro, queria ser norueguês.

    ResponderExcluir
  7. Muito bem meus caros, certamente é de se envergonhar mesmo. somos "a nata da pobreza de espirito humano" não é??
    Mas me diz ae você que não é malandro e que tb não é chegado numa esperteza, você que com certeza é super engajado nas causas sociais europeias(*sic)...
    Me diz meu jovem:
    - O que você faz (se faz) para mudar esse cenário?

    Sei que é mais fácil tirar o passaporte

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não posso falar pelos outros, logo falarei por mim. Para começar o problema não é social, mas cultural. Algo enraizado em nossa cultura que tem reflexos na individualidade de cada um. Logo o primeiro passo é não agir desta maneira. Se todos que são contra essas atitudes se portarem da forma adequada, espera-se que pelo poder do exemplo, as novas gerações se corrijam. Obviamente é um processo de longas gerações e nós não estaremos aqui para ver essa mudança cultural no brasileiro.

      Não creio que ações sociais, como campanhas educativas, surtiriam efeito na alteração deste comportamento. Nas escolas já somos direcionados para termos um comportamento agregador, não individualista, e isso no final das contas não tem reflexos, ou estes são tão fracos que se tornam imperceptíveis, no tocante a este comportamento do brasileiro.

      Denunciar este tipo de ação, para que as pessoas comecem a refletir sobre o assunto também é uma boa forma de agir para tentar mudar as coisas.

      Realmente é mais fácil tirar o passaporte, contudo eu nem tenho passaporte e quando tiver não pretendo ter mais do que vistos de turista nele.

      Deixo o espaço para que o senhor fale sobre suas ideias para mudar este comportamento.

      Excluir

    2. Concordo 100% com vc, Sr. Clark.

      Trata-se sobretudo de um problema realmente cultural baseado (creio eu) principalmente no pensamento do ganho imediato e no lucro, custe o que custar.

      Também o apoio quando afirma que a denuncia de tal ato faz com que as pessoas reflitam sobre suas próprias ações e quem sabe da próxima possam ajudar ao invés de "lucrar" com a desgraça de vizinhos...

      Acredito que a educação verdadeira, não tão somente a que é exigida no currículo escolar mas aquela que se deveria ter em casa e em qualquer organização social, fará a diferença sim.

      Mesmo que o caminho seja demasiadamente longo ou caro. Pois o custo de não se ter uma educação verdadeira, voltada para a vida como um todo, que deva ir além de objetivos profissionais, este sim é um custo que é e será caro demais.

      Quanto ao passaporte, não me referi ao Sr.

      Mas me revolta essa legião de anônimos de sempre que sempre se dizem revoltados com o fato de viverem sob a bandeira verde e amarela e que se pudessem escolher, teriam nem nascido pois qualquer coisa(mesmo a não vida) é melhor do que ser brasileiro.

      Sei que o meu país não é perfeito. não é mesmo, e não estamos nem longe disso. Mas eu sou pai. E como pai eu tenho a obrigação de acreditar e lutar todos os dias para que minha filha tenha uma cidade mais segura, um estado mais limpo e sustentável, um país mais justo e um mundo sem fome e sem guerras. Etc..

      São utopias? com certeza o são!! Talvez as maiores delas..

      Mas minha filha olha pra mim e diz a todos seus amiguinhos que ela tem o melhor pai do mundo. Então só me resta lutar para honrar tal titulo rs.

      Muito obrigado pelo espaço e por dividir conosco informações e suas reflexões

      abraços

      Excluir

Seu comentário será moderado. Para garantir aprovação, por favor:

- Seja educado.

- Tenha conteúdo.

- Não utilize CAIXA ALTA, pois prejudica a leitura de seu comentário.

- Comentários com proselitismo religioso NÃO serão aceitos. Para isso existem as igrejas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...