sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Entenda grandes rivalidades históricas sulamericanas

Vendo hoje o mapa da América do Sul, não imaginamos quanto sangue teve que ser derramado para que ele chegasse a esse formato. Sangue esse que criou ressentimentos e rixas que alimentam rivalidades. Você acha que a rivalidade entre Brasil e Argentina surgiu por causa de futebol? Hora de saber os fatos históricos que levaram a essa e a outras rivalidades sulamericanas.




Peru e Bolívia x Chile
A região do Atacama é deserta, mas cheia de minerais, e disputa pelo controle dos recursos da região levaram o Chile a reclamar o território. Na Guerra do Pacífico (1879 - 1883) Peru e Bolívia uniram forças, mas não conseguiram derrotar o exército chileno. Como resultado, o Chile anexou o sul do território peruano e a porção mais ocidental do território boliviano, fazendo assim que a Bolívia perdesse sua saída para o Oceano Pacífico. Até hoje Peru e Bolívia reinvidicam a devolução de seus outrora territórios.

Bolívia x Paraguai
A Bolívia desejava ter um acesso ao Oceano Atlântico via rio Paraguai e, para ter pleno acesso àquele rio, necessitava ocupar o Chaco, em território paraguaio. Para completar, a descoberta de petróleo na região intensificou a disputa. O conflito entre nos dois países eclodiu em 1932 e durou até 1935 com a Guerra do Chaco. Como resultado, 60 mil mortos do lado boliviano, 30 mil do lado paraguaio, perda de território por parte da Bolívia e um rancor que dura até hoje.

Eusebio Ayala, líder paraguaio durante a Guerra do Chaco
Bolívia x Brasil
E a Bolívia perdeu mais território. Além de levar um calote do Brasil. O Acre era de direito da Bolívia, mas era uma região inabitada. Até chegarem seringueiros brasileiros que, óbvio, não tinham como saber que haviam cruzado a fronteira. O Brasil até tentou restituir o território ao governo boliviano, mas esses revoltaram-se e se recusaram a deixar o local proclamando o Acre como um estado independente através da Revolução Acriana . O governo boliviano então atacou os seringueiros e o conflito durou entre 1899 - 1903. A pressão popular fez o presidente Rodrigues Alves reconsiderar e retomar a região para o Brasil. Isso foi confirmado pelos acordos do Barão de Rio Branco, cujas indenizações à Bolívia nunca foram pagas.

Barão do Rio Branco
Argentina x Chile
Agradeçam aos Andes pelos dois países não terem ido às armas até hoje. Também nunca resolveram completamente onde é a fronteira de cada um e nem deixam de ter menos rixas por isso. Em 1978 quase foram às vias de fato nas disputas pelos teritórios do sul da Patagônia que até hoje são alvos de discussões, apesar de oficialmente o assunto estar resolvido.

Paraguai x Brasil, Argentina e Uruguai
Qual o motivo da rivalidade de paraguaios em relação a brasileiros, argentinos e uruguaios? A origem é uma guerra. A Guerra do Paraguai (1864 - 1870) foi o maior conflito armado internacional ocorrido na América do Sul. Ela foi travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliança, composta por Brasil, Argentina e Uruguai. O resultado foi miséria no Paraguai e o extermínio de grande parte da população masculina do país. Também é conhecida como Guerra da Tríplice Aliança na Argentina e Uruguai e Grande Guerra no Paraguai.

O conflito iniciou-se com a invasão da província brasileira de Mato Grosso pelo exército do Paraguai, sob ordens do presidente Francisco Solano López. O ataque paraguaio ocorreu após uma intervenção armada do Brasil no Uruguai, em 1863, que pôs fim à guerra civil uruguaia ao depor o presidente Atanasio Aguirre, do Partido Blanco, e empossar seu rival colorado, Venancio Flores. Solano López temia que o Império brasileiro e a República Argentina viessem a desmantelar os países menores do Cone Sul. 

A derrota marcou uma reviravolta decisiva na história do Paraguai, tornando-o um dos países mais atrasados da América do Sul, devido ao seu decréscimo populacional, ocupação militar por quase dez anos, pagamento de pesada indenização de guerra, no caso do Brasil até a Segunda Guerra Mundial, e perda de praticamente 40% de seu território para o Brasil e Argentina. Após a Guerra, por décadas, o Paraguai manteve-se sob a hegemonia brasileira.

Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, comandava o Brasil na Guerra do Paraguai

Colômbia x Venezuela e Equador
O rancor colombiano vem da dissolução da Grã-Colômbia (1830). A Grã-Colômbia era uma república que reunia o que hoje é a Colômbia, a Venezuela, o Equador e o Panamá (que era uma província colombiana) e era a realização do ideal de Simon Bolívar de um país unido e forte na América Espanhola. Mas a centralização do governo em Bogotá, contra a proposta federalista de venezuelanos e equatorianos, levou à separação e ao fim do sonho do Libertador (que ainda redigiu uma constituição incorporando Peru e Bolívia à Grã-Colômbia sem consultá-los).

Simon Bolívar

Peru x Equador e Colômbia
A origem do ódio dos peruanos contra equatorianos e colombianos foi a Guerra Grã-Colômbia-Peruana (1828-1929) e que resultou na manutenção da independência peruana, favorecimento para a dissolução da Grã-Colômbia e diversos conflitos limítrofes no século XX entre Colômbia e Peru (como a guerra de 1931-32) e entre Peru e Equador (como conflitos armados em 1995). As questões de fronteiras foram resolvidas em Brasília a menos de 20 anos, e a rivalidade entre Peru, Equador e Colômbia está bem fresca na memória.

Uruguai x Argentina x Brasil
Agora a coisa fica interessante, que de amigos esses três não tiveram nada no século XIX. Por isso, é impossível separar a origem da rivalidade mutua deles. Foram uma sequência de fatos políticos e guerras que só seguindo uma linha do tempo para entender.

- Ainda no período colonial, anexação da Cisplatina por Dom João VI em retaliação ao apoio espanhol a Napoleão (1817);

- Início do movimento pela independência no Uruguai com apoio argentino, que deu um golpe no Uruguai e o declarou parte do seu território (1825);

- Em resposta, o Brasil declara Guerra à Argentina e bloqueia o Porto de Buenos Aires (1825);

- Declarada a Guerra Cisplatina (1825-1828). Uma guerra com três inimigos distintos, Brasil e Argentina lutando entre si pela posse do território e o Uruguai lutando pela independência. O Uruguai sai vitorioso, principalmente diplomaticamente, pois argentinos e brasileiros, cansados com os custos altos e desenrolar muito lento da guerra, se viram obrigados a reconhecer sua independência para acabar com o conflito;

José Gervasio Artigas, herói uruguaio na Guerra Cisplatina

- A Guerra Cisplatina foi uma das causas de D. Pedro I renunciar ao trono brasileiro (1831);

- Durante a Regência, o Império do Brasil evita diplomaticamente novos conflitos enquanto se reestrutura;

- Na Argentina, Juan Manuel de Rosas sobe ao poder (governos de 1829-1832 e 1835-1852), centralizando o país em torno de Buenos Aires e alimentando o sonho de unificar os territórios da Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai revivendo assim, como nação independente, o Vice-Reino do Rio da Prata. Isso não agrada os interesses de uruguaios e brasileiros;

Comandante Rosas

- No Uruguai, colorados (liberais) e blancos (conservadores) brigam pelo poder. De 1843 a 1852, Manuel Oribe (blanco) se denomina presidente e se alinha à política de Rosas de unificação territorial.

- Reestruturado, o Brasil se alia aos uruguaios colorados (facção liberal) e tira Rosas e Oribe do poder na Argentina e no Uruguai colocando seus aliados federalistas de uma forma nada gentil e democrática: é a Guerra do Prata (1851-1852);

- Em 1860, os blancos voltam ao poder no Uruguai e rompem relações com a Argentina;

- Em 1864, o Brasil invade o Uruguai e coloca os colorados de volta ao poder (sai Atanasio Aguirre, entra Venancio Flores): é a Guerra do Uruguai;
 
- Para finalizar, a Argentina foi a principal economia sul-americana no começo do século XX, e tem mágoa por ter perdido essa posição para o Brasil durante o século.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será moderado. Para garantir aprovação, por favor:

- Seja educado.

- Tenha conteúdo.

- Não utilize CAIXA ALTA, pois prejudica a leitura de seu comentário.

- Comentários com proselitismo religioso NÃO serão aceitos. Para isso existem as igrejas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...