terça-feira, 21 de agosto de 2012

Os cadáveres do monte Everest

ATENÇÃO!!! Essa postagem NÃO é recomendada para pessoas sensíveis.

Chegar ao topo do Everest é a glória para qualquer alpinista. Um feito para se contar para os filhos, netos, bisnetos... No entanto, são poucos os que podem contar esta hitória, pois o Everest é o cemitério de muitos aventureiros que fizeram da grande montanha a sua morada eterna.

Cerca de duzentos corpos são conhecidos, batizados e usados como marcos pelos alpinistas que escalam a montanha. O corpo da imagem abaixo recebeu o carinhoso apelido de "Botas verdes".


Resgatar um corpo das montanhas é algo quase impossível. Não só difícil tecnicamente, mas extremamente caro. As mortes quase sempre são resultado de alpinistas que nunca acordaram de uma sonequinha.

Tentar chegar ao cume do gigante pode custar entre 25.000 e 60.000 dólares, ou a vida do alpinista.

A maioria dos que retornaram relataram que uma das coisas mais difíceis da escalada é passar pelos corpos. Devido as baixíssimas temperaturas, corpos com mais de 50 anos são encontrados quase sem sinais de decomposição. O congelamento quase que instantâneo é uma possibilidade real perto do cume do monte.

Algumas vezes, alpinistas encontram pessoas agonizantes durante a escalada ou descida, mas como não há meios de ajudá-los devem seguir em frente e deixá-los morrer.

É bastante conhecida no meio, a história de dois alpinistas que encontraram uma mulher à beira da morte. Ela gritava por socorro e pedia que eles a ajudassem. Os dois nada podiam fazer, pois tentar ajudá-la seria praticamente morrerem juntos com ela. Eles então seguiram em frente e a deixaram morrer.









Adaptado do blog Hipernovas.

24 comentários:

  1. Que loucura! Pra que se arriscar assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para viver,para sair da rotina,para provar para si q é possivel de ser mais,para quebrar barreiras q a sociedade estabelece....

      Excluir
    2. e quebrou mesmo, todas as barreiras, morreu sozinho no frio e, com certeza, ainda fez a família sofrer...

      Excluir
    3. claro, as barreiras da morte shaiushaiush

      Excluir
    4. e arriscar n ver mais a familia e os amigos ;D

      Excluir
    5. mas nada supera a sensação de lograr êxito onde poucos obtiveram sucesso.É algo inexplicável ,só evidenciado pelos verdadeiros aventureiros.

      Excluir
  2. É muita falta do que fazer!!!

    ResponderExcluir
  3. O que o ser humano não faz para se "encontrar" ou... aparecer? gente estranha demais...
    agora acho que tem coisa fake... passar por alguém pedindo ajuda para salvar sua vida e não ajudar? continuar o "caminho"... não creio que possa ter um alpinista tão "frio" assim... quiçá 2! :)... mas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num caso desses é questão de sobrevivência. Dependendo do ponto da montanha onde eles está e do estado da pessoa, parar pra ajudar ou mesmo tentar voltar pode acabr significando a morte dos sois. O monte Everest é um lugar muito mais inóspito e muito mais perigoso do que parece. Se você divide seu suprimento de oxigênio com alguém, você fica sem e os dois morrem. A montanha não perdoa.

      Excluir
    2. Ou segue em frente, ou desiste e volta, ou morre. Escolha. Duvido muito que alguem que subiu meio morro vá voltar tão facilmente.

      Excluir
  4. pra que correr risco desnecessário??

    ResponderExcluir
  5. a vida é do cara deixa ele morrer do jeito que quiser

    pq não correr risco?

    ResponderExcluir
  6. Nós temos dinheiro e tecnologia para ir na lua e não podemos trazer os corpos da montanha para entregar às famílias ???? Estranho. Será que mesmo quando estivessem descendo não poderiam amarrar uma corda e puxá-los ??? Se esta política fosse aplicada no mar, não haveria sobreviventes dos naufrágios. Ver uma pessoa morrendo , pedindo ajuda e não fazer nada ??? preferir subir e ser mais um idiota a chegar ao topo, do que ajudar outro ser humano ???? Em que mundo nós estamos vivendo ??? Nesta última olimpíadda, uma jovem abandonou a corrida para ajudar uma outra competidora a cruzar a faixa final que estava cambaleante, demonstrando valores morais. Quem ganhou a prova, nem sei ? Não me interessava mais, o importante eu já tinha assistido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim,dá para pegar os corpos,só que a família muitas vezes não tem dinheiro para resgatá-los e nem o governo quer gastar com isso. Não sei como funciona,mas algum especialista deve saber o motivo da impossibilidade de resgate. Eu resgataria a qualquer custo,seria melhor dizer: Eu salvei uma vida! do que: Eu escalei o monte Everest!...

      Excluir
    2. Amigo, dependendo de onde o corpo esteja, é impossível resgatá-lo, o motivo é somente esse, é difícil e caro...
      Acredite, se você estivesse lá saberia q há situações q tornam um resgate impossível, você poderia optar por sentar ao lado e aguardar a morte, talvez por pessoas que ame muito faça isso, opte por morrer junto... Mas todo escalador quando entra na montanha sabe disso, qlq acidente pode ser incontornável e fatal...

      Excluir
  7. Porque é falta do que fazer? Não entendi isso. Cada pessoa faz o que quer da sua vida, tem gente que curte aventura. Não acho isso errado!
    E não foi falta de sensibilidade e nem frieza, o caso realmente era de vida ou morte, seria bom voltar e "ajudar" pra não servir de nada e morrerem os três, é algo triste, que provavelmente ficaram pensando todo o caminho, mas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também concordo. Eu passei anos em depressão depois que me aposentei. Então passei a fazer viagens, caminhadas, vou a lugares não tão perigosos, mas também corro riscos. Mas a natureza é lindíssima, Tenho muitas coisas a fazer em casa, e faço, mas também me dou o prazer de me superar e conhecer lugares incríveis.

      Excluir
  8. No ar rarefeito é um livro escrito por um jornalista da National Geografic que escalou o Everest e fez um diário e um relato dessa subida. Dá pra entender porque não é possível ajudar a quem está na montanha. E quem está lá sabe disso e sabe do risco que corre. o autor é John Krakaur. Vale a pena a leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jon Krakauer foi, na verdade, contratado pela revista Outside para fazer uma reportagem sobre as expedições comerciais no Everest. Ele tambem escrevia para a National Geographic.

      Excluir
  9. Cruel... Mas acho q morreram da maneira q gostariam... Sei lá!
    Eu ñ teria essa coragem...

    ResponderExcluir
  10. Muito infelizes os comentários que dizem que escalar montanhas é loucura, falta do que fazer ou outras bobagem do tipo. Legal deve ser ficar em casa assistindo novela.
    Numa escalada -em rocha ou alta montanha- você não vai para "aparecer". Você está lá para provar para sí mesmo que pode fazer aquilo.

    ResponderExcluir
  11. Concordo com o cassiano, você esta lá pra superar seus limites e nao para se aparecer.

    ResponderExcluir

Seu comentário será moderado. Para garantir aprovação, por favor:

- Seja educado.

- Tenha conteúdo.

- Não utilize CAIXA ALTA, pois prejudica a leitura de seu comentário.

- Comentários com proselitismo religioso NÃO serão aceitos. Para isso existem as igrejas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...