segunda-feira, 18 de março de 2013

Vice-procuradora-geral Deborah Duprat, Abrasel e Lei de Gérson, em desfavor do cidadão

Quem acompanha o blog sabe como sou crítico ferrenho da qualidade do trabalho da polícia brasileira e como sou pessimista quanto a nova Lei Seca. Contudo, sou obrigado a admitir que até o presente momento a polícia vem cumprindo bem seu papel no tocante a aplicação dessa lei.

Infelizmente outra lei, a "Lei de Gérson" que impera em nosso país e nos impossibilita de termos uma visão mais geral no que tange a uma sociedade como um todo, pode acabar com a alegria das pessoas de bem que comemoram a nova Lei Seca.

Pois bem, saibam que a Vice-procuradora-geral Deborah Duprat da Procuradoria Geral da República (PGR) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um parecer a pedido da Associação Brasileira de Restaurantes e Empresas de Entretenimento (Abrasel). Para a procuradora, não compete ao Estado incitar os cidadãos a produzir provas que os prejudiquem. Caso o Supremo acate a opinião da procuradoria, o motorista que não quiser soprar o bafômetro não poderá mais ser punido. Quem já foi multado nessas condições também poderá recorrer.

Deborah Duprat

Apesar de representar o Ministério Público, a opinião da vice-procuradora não é uma unanimidade nem mesmo na Procuradoria Geral da República. O subprocurador Carlos Eduardo de Oliveira Vasconcelos concorda com o argumento jurídico da colega, mas diverge no que tange especificamente à punição ao motorista que não sopra o bafômetro e considera um retrocesso, caso o parecer seja acolhido, porque vai fragilizar a lei. Para ele, quem quer dirigir tem de se submeter às regras de trânsito.

Quer dizer então que os donos de bares e restaurantes estão putos porque perderam aquele cliente vagabundo, marginal que gosta de beber e depois botar a vida dos outros em perigo? Para a Abrasel, é válido um criminoso matar um pai ou mãe de família porque dirigiu após beber, desde que ele continue gastando o dinheirinho com a bebida?

É claro, que eu acho que a Abrasel tem que lutar contra a queda no faturamento, afinal de contas é um setor da economia que gera empregos e paga impostos, mas tem que ser assim? Olhando para o próprio umbigo? Por que não criar e incentivar estratégias como a criada por Erinaldo de Souza, mais conhecido como Naldo, proprietário do bar Arrasta-Pé de Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, que isenta de entrada o cliente que vai para o bar de táxi? Se pensar, tem como solucionar o problema sem botar em risco a vida de outras pessoas.

Quanto à digníssima Deborah Duprat, que deveria trabalhar pelo povo, mas está trabalhando contra o povo, só tenho a dizer o seguinte. É impressionante! O Legislativo custa a fazer algo que preste e quando faz, tem sempre um débil-mental no Judiciário para f*der a merda toda. Dona Deborah tá precisando de serviço!

Hoje, li no jornal que a Polícia Militar Rodoviária de Minas Gerais realizou uma mega-operação em Belo Horizonte neste fim de semana. Algo já esperando, uma vez que a informação circulava nas redes sociais desde a semana passada. Outra imbecilidade. Você, que divulga isso em redes sociais, lembre-se que um dia, você ou alguém que ame pode ser a vítima. No total, foram flagrados 13 bêbados, a maioria pessoas de nível superior e com alto poder aquisitivo. De acordo com a reportagem, quando confrontados, a frase mais comum era: "Você sabe com quem está falando?"

É com gente assim que a polícia tem que lidar sem os devaneios da Excelentíssima Deborah Duprat, imaginem se tirarem da autoridade policial o poder de repressão!



Com textos e informações de: Página 3 do Jornal Super Notícia de 18 de março de 2013, O Tempo e EM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será moderado. Para garantir aprovação, por favor:

- Seja educado.

- Tenha conteúdo.

- Não utilize CAIXA ALTA, pois prejudica a leitura de seu comentário.

- Comentários com proselitismo religioso NÃO serão aceitos. Para isso existem as igrejas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...