sexta-feira, 12 de abril de 2013

Relembre alguns "pactos" com o diabo atribuídos a algumas empresas pelos evangélicos

Via: Antipentecostalismo

Sempre surgem lendas e estórias sobre pactos com o diabo e coisas do gênero, mas será que tudo isso tem fundamento mesmo? Seguem algumas baboseiras gospel clássicas:

1) Maionese Hellmann’s



Possível pacto:

O nome Hellmann’s significaria “homens do inferno”, onde Hell = inferno e mann’s = homens.

Refutação:

a) Homem em inglês é man (singular) e homens é men (plural) e não mann’s. Outro detalhe está no apóstrofo (‘) antes da letra “s” (‘s) que na língua inglesa indica propriedade ou posse, sendo assim Hellmann’s significa “do Helmmann”.

b) O nome Hellmann’s é devido ao sobrenome do imigrante alemão Richard Hellmann que, em 1903, chegou aos Estados Unidos e dois anos depois, inaugurou sua delicatessen em Nova York. O grande diferencial era o molho que Hellmann colocava nas saladas prontas que vendia. Este saboroso molho era a própria maionese fabricada por sua esposa.

Fica claro que a tradução “homens do inferno” é inaceitável, tanto pela semântica da língua inglesa, como por ser um sobrenome de origem alemã (toda a família Hellmann são “homens do inferno”?). Pronto, já não precisa mais jogar fora o seu pote de maionese, a não ser que esteja precisando de um regiminho.


2) Fido Dido



Possível pacto:

Fido Dido significa, num dialeto francês antigo, algo equivalente a “filho do diabo”. Alguns sites alegam que o guri que estampa as camisetas da moçada seria uma imagem do movimento nova era e significaria o desleixo e a irresponsabilidade da juventude dos últimos tempos.

Refutação:

Fido Dido (pronuncia-se Faido Daido) é um personagem gráfico alto, magricela e com fios de cabelo espetados, trajando tênis, bermuda e camiseta que traduz o jeito excêntrico e descompromissado dos adolescentes. Foi criado em 1985, num guardanapo de bar em Nova York e é uma licença americana que representaria um jovem consumidor.

O primeiro nome viria do latim fidelis (fiel), e Dido foi uma rainha de Cartago, cidade rival de Roma antiga que tinha espírito jovem e alegre.

Fido Dido já foi usado para apoiar campanhas de grandes marcas de consumo, como fez a então Pepsi-Cola Brasil, em 1992, ao relançar no país o refrigerante sabor limão Seven Up, seguindo estratégia global. A empresa esperava conquistar 15% do mercado total de refrigerantes no Brasil em um ano com o apoio do personagem mas não funcionou (será que o tal pacto com o “filho do diabo” falhou?).

Afirmam que Fido Dido é uma expressão de um dialeto francês antigo, equivalente a “filho do diabo” só que ninguém conhecido (e respeitável) assina ou abona essa informação. Além disso, ninguém respeitável conhece o tal dialeto (?!) francês, até porque a língua francesa superou há séculos seus dialetos. Portanto, não precisa queimar e nem deixar de comprar suas roupas onde tem o tal mancebo estampado (a não ser que seja pirata, ok?!), pois trata-se de mais um boato entre tantos nos arraias evangélicos.


3) Hello Kitty



Possível pacto:

a) A palavra Hello, em inglês quer dizer olá. A palavra Kitty, é de origem chinesa e quer dizer demônio. Logo, Hello Kitty quer dizer: “olá demônio”.

b) A desenhista da Hello Kitty estava grávida e o médico afirmou que o bebê teria várias deformações. A criança nasceu com tudo perfeito, mas com o passar dos dias foi percebido que seria uma criança muda, por isso em homenagem a sua filha, ela fez a Hello Kitty, sem a boca, mas perfeita, e linda.

c) Outra versão da “estória” acima é que a Hello Kitty não tem boca, devido ao caso da garotinha ter nascido com um câncer na boca.

d) A Hello Kitty é um símbolo da nova era. A nova era é uma seita que vai contra todos os princípios de Deus. Ela busca criar símbolos “bonitinhos” para agradar a todos.

e) Hello Kitty vem da palavra “elohit” que em africano quer dizer demônio.

Refutação:

A Hello Kitty (Harokiti) foi criada originalmente pelo designer Ikuko Shimizu em 1974 (e não pela tal mulher grávida que deu à luz uma garotinha sem boca – logicamente muda – corroída por um câncer) para a empresa japonesa Sanrio. O personagem é a figura de uma gata branca com traços humanos que usa um laço ou flor na orelha esquerda e não possui boca. Nos desenhos animados Hello Kitty tem uma boca. Repararem que ela também não tem sobrancelhas (será outra pegadinha do tinhoso?!).

A bonequinha em forma de uma gatinha recebeu o nome em inglês porque a cultura britânica era popular entre as garotas japonesas na época da sua criação. O nome Kitty veio de um dos gatos que Alice criava no livro Through the Looking-Glass de Lewis Carroll e não do idioma chinês ou do tal africanês (acho que inventei outra palavra… estou ficando bom nisso!). Aliás, sobre o suposto nome africano, que significaria “diabo”, gostaria que me explicassem, apenas, em qual língua/dialeto foi encontrada tal expressão, pois na África existem centenas de línguas e dialetos. Não existe a língua “africana”!

Hello Kitty significa simplesmente “Olá, gatinha”, então meninas, não precisam mais ficar com medo da mudinha vir te pegar de noite.


4) Coca Cola



Possível pacto:

Pegando o logotipo da Coca-Cola e virando ao contrário lemos a mensagem “alo diabo”.

Refutação:

Essa é clássica! Precisa-se de muita imaginação e uma tremenda vontade de “enxergar” o que se quer ver (ou o que querem que veja) aqui. Eu já virei o rótulo de tudo quanto é jeito e não consigo ver nada (será que fui cegado pelo inimigo?!) Confesso que até a palavra “alo” eu consigo identificar (devo estar apenas meio cego) mas o nome do “diacho” tá difícil de achar. Imaginação nunca foi o meu forte!

No lugar onde teria que aparecer o tal nome do diabo, a letra “d” não existe, nem a “i” e nem a “b”. Eu, pelo menos, não consigo ver e nem identificar aquelas letras (devem ser do tal dialeto africanês ou francês!). Além do mais, Coca-Cola é uma marca americana vendida no mundo todo, então qual seria a vantagem para o “caramunhão” de se escrever uma mensagem subliminar em português?! Só se os donos da Coca-Cola estiverem de olho no mercado brasileiro por causa da concorrência da Dolly (vou virar o rótulo da Dolly também para ver se acho alguma coisa!)

Fonte: Gospel Atualidades

Antipentecostalismo


Leia também:

Pentecostais e cia., fanatismo perigoso
Espírita apanha de evangélicos por reclamar de barulho de culto
Moda evangélica!? A patética autosegregação evangélica já chegou na moda
A patética autosegregação evangélica alcançou os sexshops
Bancada evangélica: a mais ausente, inexpressiva e processada


Siga-nos: Facebook e Twitter.

Um comentário:

  1. Adorei....... infelizmente tudo que faz sucesso para os evangélicos são pactos que as empresas fazem com o diabo.
    Lembra da Titan honda que tinha uma "cruz" no farol?
    Do boneco Fofão que tinha uma faca dentro?
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    são mtas coisas... dá pra vc fazer a parte 2, parte 3, parte 4 e por ai vai de marcas que tem pacto com o demooo kkkk

    ResponderExcluir

Seu comentário será moderado. Para garantir aprovação, por favor:

- Seja educado.

- Tenha conteúdo.

- Não utilize CAIXA ALTA, pois prejudica a leitura de seu comentário.

- Comentários com proselitismo religioso NÃO serão aceitos. Para isso existem as igrejas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...