sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Perturbação do sossego, um problema que não pode ser ignorado

Certamente não é o maior dos problemas do nosso país, mas com certeza é um dos que mais incomodam. Pessoas individualistas existem no mundo inteiro, mas na medida em que nossas autoridades fingem que o problema não é com elas, a situação tende a se agravar aqui no Brasil. Muitos que estão lendo esta postagem certamente já passaram por problemas de perturbação do sossego. Seja com algum "dono da rua" que acha que tem o direito de ligar aquele famigerado som automotivo no último volume, algum vizinho que não sabe respeitar o espaço dos outros ou algum bar. 

Pessoalmente enfrento este problema corriqueiramente. Moro perto de um clube que possui um salão de festas. O problema é que o estabelecimento não possui isolamento acústico. Isso por si só já deveria ser motivo para se evitar que ali ocorressem festas, porém, para piorar, o clube organiza todos os domingos, a partir das 23 hrs (eu não disse até, eu disse a partir) bailes "funk" (entre aspas, pois este funk dito carioca nada tem a ver com o verdadeiro funk). Os eventos, claro, com volumes altíssimos terminam sempre lá pelas 2 da manhã de segunda-feira. Para piorar, temos ainda que aguentar os arruaceiros, que não satisfeitos, param os carros na praça próxima ao clube e ligam seus sons automotivos no máximo.

Com certeza alguém sugerirá, "chame a polícia, notifique a secretaria de meio-ambiente". Sempre chamamos a polícia e ela nunca apareceu. Já notifiquei a secretaria municipal de meio-ambiente inúmeras vezes também, sem resultados. O problema é que por se tratar de uma cidade pequena, onde todos conhecem todos, certamente a diretoria do clube tem conhecidos nos órgãos governamentais municipais. Logo, a prefeitura fecha os olhos...

Quando eu residia em Belo Horizonte sempre que esse tipo de coisa acontecia, eu ligava para a polícia e a resposta era "esse tipo de ocorrência deve ser encaminhada para o disque-sossego da prefeitura". O problema, é que esse tipo de ocorrência se acentua durante o período de repouso, logo o maravilhoso disque-sossego não estava operando... Genial! Uma vergonha! Você tinha que ligar em horário comercial para agendar uma visita do técnico ao local para averiguar. Mas e se o problema fosse algum arruaceiro vagabundo que parou o carro na porta de minha casa e ligou o som no último volume? Eu teria que rezar para o arruaceiro voltar justamente quando do agendamento?

A título de comparação, vou postar abaixo um vídeo feito pelo Dâniel Fraga em que ele cita dois exemplos de perturbação do sossego. Um ocorrido na Inglaterra e um caso pessoal dele daqui do Brasil. Com certeza muita gente que irá ler esta postagem me questionará sobre o fato de eu ainda viver no Brasil. Não meus caros. Quando critico o comportamento dos políticos e do povo brasileiro é justamente porque quero que as coisas melhorem por aqui, pois é aqui que quero ficar.

Como disse o Dâniel no vídeo, poluição sonora deveria ser invasão de propriedade privada, uma vez que o som proveniente do local está invadindo meu espaço.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será moderado. Para garantir aprovação, por favor:

- Seja educado.

- Tenha conteúdo.

- Não utilize CAIXA ALTA, pois prejudica a leitura de seu comentário.

- Comentários com proselitismo religioso NÃO serão aceitos. Para isso existem as igrejas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...